CONSTRUÇÃO CIVIL, UM SETOR QUE DEMANDA CONTABILIDADE ESPECIALIZADA

De fato, a construção civil é um setor da economia que merece uma contabilidade especializada. Esta não é uma indústria como as outras, porque neste setor existem diversas particularidades que devem ser observadas na hora de aplicar as técnicas contábeis.


As especificidades das empresas do setor de construção civil são muitas e elas contam com diferentes aspectos contábeis em relação à formação de estoque


A construção civil não é uma indústria como as outras; existem diversas particularidades que devem ser observadas na hora de aplicar as técnicas contábeis. Empresas do setor de construção civil contam com diferentes aspectos contábeis em relação à formação de estoque, plano de contas, rateio de custos e receitas auferidas, por exemplo.


Portanto, o profissional contábil dessa área precisa ter uma grande atenção quando lida com as contas deste ramo que passa por transformações constantes.


O setor da indústria é gigante e complexo.


São tantas as normas específicas e exigências, que muitas empresas do ramo contábil simplesmente abrem mão de trabalhar para algumas organizações deste setor.


A indústria da construção, por exemplo, é um ramo muito significativo da economia brasileira, envolvendo uma cadeia de produção gigantesca, ampla e diversificada.


Ela representa 10% do PIB brasileiro e emprega cerca de 10 milhões de trabalhadores. Cada etapa das obras agrega valor, envolvendo inúmeras áreas. Isso gera uma repercussão gigantesca na economia. Porém, manter os controles financeiros e fiscais de uma atividade com esse perfil é um tremendo desafio para os contadores.


Agora vejamos algumas particularidades contábeis deste segmento:


A primeira delas é a adoção de CENTRO DE CUSTOS. Muitas empresas estão optando pela técnica de utilizar centros de custos para melhorar o controle contábil de suas contas. Nesse conceito, as receitas e despesas são auferidas em cada área do negócio ou unidade.


Para companhias que trabalham no ramo de construção civil, além de ser uma boa opção para o controle das contas, essa também é uma exigência legal dos órgãos fiscais.


Outra particularidade é o PLANO DE CONTAS. Trata-se de uma ferramenta utilizada para realizar o controle financeiro e é fundamental para elaborar os balanços da empresa. O plano de contas deve estar de acordo com as peculiaridades do negócio; no caso da construção civil, deve refletir as demandas dessa indústria, elencando as contas do ativo, passivo e resultado.


O plano de contas é um instrumento de administração que permite verificar lucro e prejuízo. Ele deve ser feito com precisão para evitar qualquer sanção por parte dos órgãos fiscalizadores. Afinal, serve como base para as demonstrações contábeis exigidas por lei pelos órgãos de fiscalização do governo.


Por fim, a CONTABILIDADE INDUSTRIAL, também conhecida como contabilidade analítica ou contabilidade de custos, consiste no processo de identificar e tratar custos de produção que contribuam para o produto final de uma organização. E justamente por isso, esse tipo de contabilidade acaba sendo utilizado com mais ênfase no setor industrial.


São englobados custos como matéria-prima, bens subsidiários, mão de obra, energia, transportes, produção, embalagem, marketing, comercialização entre outros.


Em uma indústria, são muitos os fatores que envolvem a composição do custo do produto final, e, por isso, a única forma acurada de determinar esse custo final é uma contabilidade voltada especialmente para tal finalidade.


Além disso, esse ramo passa por uma série de transformações que exigem do profissional contábil uma grande atenção ao lidar com as contas. Ou seja, contabilidade para indústria é um desafio para especialistas.


Quer saber mais? Fale com os especialistas da Controller.

1 visualização

Precisa de ajuda? Consulte nossos especialistas de plantão via whatsapp.

  • Branca ícone do YouTube
92 - Logotipo.png